Blog do Marcel Rizzo

5 anos e ‘superbônus’ dentro e fora de campo: o que o PSG oferece a Neymar

Marcel Rizzo

O atacante Neymar durante treino do Barcelona nessa segunda-feira (17) (Manu Fernandez/AP)

Ao renovar o contrato com o Barcelona até 2021, Neymar teve o salário triplicado, para cerca de 16 milhões de euros (R$ 58,5 milhões), e abriu mão de bonificações por metas alcançadas comuns em contratos caros, como artilharia, título de melhor do mundo, e convocação para a seleção brasileira.

A proposta de cinco anos do PSG a Neymar retoma esses 'super bônus', que podem elevar o salário anual do atacante para quase 40 milhões de euros (R$ 146 milhões) – ele seria o atleta mais bem pago do futebol europeu. Esses gatilhos são esportivos, com os bônus por metas alcançadas citados, mas também institucionais. A ideia do PSG é faturar alto em projetos de marketing usando a imagem de Neymar, e repassar a maior parte ao atleta.

Neymar seria garoto-propaganda de projetos sociais que o clube tem pelo mundo junto com empresas. Ele atuaria também para patrocinadores atuais e para ajudar a buscar novas empresas dispostas a injetar dinheiro no PSG. O time pertence a um grupo do Qatar, o Qatar Sports Investment, que tem interesse também em promover a Copa do Mundo de 2022, que será no país do Oriente Médio.

Neymar, segundo informação do jornalista Marcelo Bechler, do canal Esporte Interativo, aceitou essa oferta. O estafe do atacante nega. O PSG, agora, tem que pagar a multa rescisória do atleta com o Barcelona, de 222 milhões de euros (R$ 810 milhões) – esse valor também teve acréscimo na renovação de Neymar acertada em outubro de 2016. No ano que vem, por exemplo, ela salta para 250 milhões de euros (R$ 910 milhões).

o Barcelona está confiante que ele não sairá da Espanha. “Com 200% de certeza, digo que Neymar não deixará o clube neste verão [janela de transferências de julho e agosto]”, disse Jordi Mestre, vice-presidente do Barça.