Blog do Marcel Rizzo

Com filho de Perrella chefiando, projeto do governo prioriza cidades de MG

Marcel Rizzo

Gustavo Perrella é o secretário nacional de futebol e defesa dos direitos do torcedor (Crédito: Divulgação)

Novo projeto do Ministério do Esporte começa a sair do papel, mas num primeiro momento apenas cidades de Minas Gerais receberão o “Seleções do Futuro”.

Por meio da Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, desde 16 de agosto seis cidades mineiras, incluindo a capital Belo Horizonte, tiveram aprovados convênios para implementar núcleos do projeto, que ainda nem foi lançado oficialmente pelo governo federal. O secretário da pasta é Gustavo Perrella, 34, que tem Minas Gerais como base política – ele é filho do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), e foi deputado estadual em Minas entre 2011 e 2015.

A assessoria de imprensa do Ministério do Esporte informou que não há um direcionamento para cidades mineiras, e a liberação dos convênios foi feita por meio de emendas de parlamentares do Estado, que conheceram o projeto piloto em contato com o secretário e se interessaram. Cidades de outras regiões do país poderão ser contempladas assim que ele for lançado oficialmente, em outubro, e que os planos de Gustavo Perrella estão centrados na gestão da secretaria, não nas eleições de 2018.

Já assinaram para receber o “Seleções do Futuro” com o Ministério do Esporte as pequenas cidades de Monte Alegre de Minas (21 mil habitantes), Engenheiro Caldas (11 mil), Sacramento (26 mil), Brasópolis (15 mil), Nova Ponte (15 mil) e a capital Belo Horizonte (2,5 milhões) – os contratos são de 15 meses.

BH terá quatro núcleos, num total de R$ 674,4 mil. Somando o que será gasto nas outras cinco cidades que já acertaram o convênio, o valor até agora para o projeto ultrapassa R$ 1,5 milhão – segundo o Ministério do Esporte, dinheiro que não sai diretamente da pasta, mas sim liberado pelo governo por meio de empenho de parlamentares mineiros (que não tiveram os nomes divulgados) que já vêm com destinação definida do Congresso.

A ligação dos Perrella com o futebol é por meio do Cruzeiro, clube do qual o senador Zezé foi presidente entre 1995 e 2002 e entre 2009 e 2011. Gustavo foi vice-presidente do clube e superintendente de gestão durante parte do mandato do pai – curiosamente, o convênio com Belo Horizonte foi assinado com o prefeito Alexandre Kalil, que presidiu o Atlético-MG, principal rival do Cruzeiro.

Há alguns anos, Gustavo Perrella apareceu no noticiário nacional por outro motivo. Em 2013, um helicóptero da empresa da família Perrella foi apreendido com mais de 440 kg de cocaína. O piloto, na época, era funcionário do gabinete de Gustavo na assembleia legislativa de Minas Gerais, e foi exonerado após o episódio. Os Perrellas negaram envolvimento com a droga, e a Polícia Federal, após investigação, concluiu que Gustavo não teve ligação com o caso pois o piloto teria pego o helicóptero sem o conhecimento dos donos.

Como mostrou o blog do jornalista Rodrigo Mattos em maio, outro caso envolvendo o nome de Gustavo Perrella teve a ver com o suposto pagamento de R$ 2 milhões de propina da empresa JBS ao senador mineiro Aécio Neves (PSDB-MG). O secretário de futebol é apontado como dono da Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários, que teria recebido o dinheiro. Todos negam envolvimento em atitudes ilícitas.

O “Seleções do Futuro” vai receber crianças e adolescentes entre 6 e 16 anos, e terá uma metodologia de treinos e estudos especial, inclusive para a preparação dos treinadores e educadores que acompanharão os jovens nos trabalhos – mais detalhes ainda serão divulgados até outubro, quando o projeto será lançado oficialmente.

Veja a nota enviada pelo Ministério do Esporte:

O projeto Seleções do Futuro será lançado pelo Ministério do Esporte em outubro e vai incentivar, desenvolver e democratizar o acesso à formação esportiva para crianças e adolescentes, com a implantação de núcleos de futebol de base em todo território nacional.

Vale destacar que, nesta primeira etapa, o Seleções do Futuro vai funcionar como “piloto”, exclusivamente com recursos provenientes de emendas parlamentares, que já vêm com destinação definida do Congresso Nacional. O chamamento público para a próxima fase do programa será lançado nas próximas semanas.

O secretário Gustavo Perrella está focado em sua missão no Ministério do Esporte, de buscar o fortalecimento do futebol brasileiro, fomentar a atividade esportiva e garantir os direitos dos torcedores. Portanto, seus planos estão centrados na gestão à frente da Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor.