Blog do Marcel Rizzo

Cota mínima para jogar Copa do Brasil-2018 cresce 60% e será de R$ 500 mil

Marcel Rizzo

A menor cota a ser paga na Copa do Brasil de 2018 será de R$ 500 mil, aos times de menor expressão que participarem da primeira fase da competição. A premiação mínima do torneio teve um aumento de 60%, já que em 2017 os clubes pequenos eliminados precocemente receberam R$ 300 mil.

Um novo contrato de direitos de transmissão, assinado com o Grupo Globo, fez a CBF turbinar a premiação da Copa do Brasil, que pagará ao campeão R$ 50 milhões, maior cota do futebol brasileiro (é mais do que a soma do que ganharão os vencedores do Brasileiro e da Libertadores em 2018, mesmo com a competição sul-americana dobrando seu prêmio, como mostrou o blog do jornalista Rodrigo Mattos). O time vencedor da Copa do Brasil poderá embolsar no total mais de R$ 68 milhões, no acúmulo de todas as fases.

Proporcionalmente, porém, os times menores tiveram um incremento financeiro menor. Esse ano, o Cruzeiro embolsou R$ 6 milhões como prêmio de campeão da Copa do Brasil — ou seja, em 2018 o vencedor receberá oito vezes mais, aumento bem superior aos 60% dos pequenos. A CBF divulgou até o momento somente as premiações a partir das quartas de final (R$ 4 milhões), com os semifinalistas embolsando R$ 8 milhões, o vice R$ 20 milhões e o campeão os R$ 50 milhões já citados.

Em 2017 houve reclamação das cotas oferecidas pela CBF nas fases iniciais, tanto que a entidade aumento os valores já com o torneio em andamento e com times eliminados. Num primeiro momento, aqueles menores que fossem eliminados na fase inicial receberiam R$ 250 mil, valor acrescido de R$ 50 mil depois. Em março os mineiros Caldense e URT já haviam sido eliminados e mesmo assim receberam um pouco mais.

Clubes de maior expressão também ganharam mais por disputar a fase inicial. Cruzeiro e São Paulo, por exemplo, receberam inicialmente R$ 500 mil pela primeira fase, valor que depois subiu mais R$ 95 mil — houve acréscimo de valores nas três primeiras etapas após reclamações.

Em 2018, times como o Floresta, do Ceará, receberão como cota na primeira quase todo o orçamento anual com a folha salarial dos atletas. Em 2017, o time eliminou o Fortaleza da Copa do Brasil (vencendo a final da Taça Fares Lopes) com folha salarial de R$ 50 mil mensais, o que dá R$ 600 mil no ano, pouco mais do que vai receber no mínimo pela Copa do Brasil-2018.

Na primeira fase, oito times melhores ranqueados pela CBF terão uma cota superior, aproximadamente R$ 800 mil (entre eles São Paulo, Botafogo, Inter, Atlético-PR e Fluminense). Ceará, América-MG e Paraná, que estarão na Série A em 2018, receberão um valor intermediário (entre R$ 600 mil e R$ 700 mil) e as demais equipes a quantia mínima (R$ 500 mil).