Blog do Marcel Rizzo

Aposta na Fifa é que Del Nero repita Blatter e Platini e tenha pena longa

Marcel Rizzo

Os ex-presidentes da Fifa Joseph Blatter e da Uefa (União Europeia de Futebol) Michel Platini, além do ex-secretário-geral da Fifa Jérôme Valcke, também foram suspensos provisoriamente por 90 dias de atividades ligadas ao futebol pelo Comitê de ética antes de serem banidos por tempo determinado.

Segundo pessoa com trânsito em Zurique, onde está a sede da Fifa, o Comitê de Ética só suspende provisoriamente quando já identificou fortes indícios de problemas de conduta, por isso a aposta na Suíça é que dificilmente o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, se livrará de uma suspensão mais longa, o que acabaria de vez com seu mandato na confederação brasileira — vale até 2019, mas a eleição em que ele pretende concorrer à reeleição ocorre em abril de 2018.

Nesta sexta (15) a Fifa anunciou a suspensão provisória de 90 dias de Del Nero, que é acusado pelo Departamento de Justiça dos EUA de receber vantagem indevida para negociar direitos comerciais de torneios na América do Sul para empresas de marketing esportivo — ele nega qualquer irregularidade. Em setembro de 2015, Blatter, Platini e Valcke receberam a mesma suspensão provisória, que pode ainda ser prorrogada por mais 45 dias. Em dezembro do mesmo ano, porém, o Comitê de Ética se mostrou ágil na decisão e os baniu do futebol com penas longas.

Blatter e Platini foram suspensos inicialmente por oito anos do futebol, pena depois reduzida a seis anos em apelação ainda dentro da Fifa. O problema foi um pagamento autorizado por Blatter a Platini, em 2010, de cerca de R$ 10 milhões à época. Nunca ficou claro o motivo do pagamento, apesar do francês alegar que recebeu por um serviço prestado à entidade entre 1999 e 2002. O comitê entendeu que pode ter havido corrupção e suspendeu ambos.

Já Valcke foi suspenso por 12 anos, pena depois reduzida a 10 anos, por suspeita de ter recebido vantagens em problemas relacionados à revenda de ingressos para a Copa do Mundo de 2014. Secretário-geral à época, Valcke foi o homem-forte na organização da competição.

A investigação contra Del Nero no Comitê de Ética da Fifa se arrasta desde o fim de 2015, quando ele foi incluído entre os cartolas suspeitos de receber propina nas Américas. No momento três ex-dirigentes, entre eles o brasileiro José Maria Marin, que presidiu a CBF entre 2012 e 2015 com Del Nero a seu lado, são julgados em Nova York. Novos documentos do caso, que foram mostrados na corte, enviados pelos promotores à Fifa aceleraram o processo contra Del Nero no comitê. Espera-se uma resolução até fevereiro.