Blog do Marcel Rizzo

Nem ingresso para jogo: Fifa corta regalias de cartolas que vão à Rússia

Marcel Rizzo

Em meio a escândalos de corrupção, a Fifa cortou regalias de cartolas que viajarão em junho para o Congresso anual da entidade, que esse ano será em Moscou, na Rússia, país que receberá a Copa do Mundo.

A federação internacional avisou, por meio de carta enviada às confederações nesta sexta (2), que dirigentes que quiserem voo em primeira classe ou levar acompanhantes terão que pagar a diferença do próprio bolso. A Fifa vai pagar a viagem de três membros de cada uma das 211 entidades filiadas para Moscou, que as representarão no Congresso.

A direção da Fifa avisou também que não dará ingressos para jogos da Copa do Mundo a esses dirigentes que viajarem. Todos estarão convidados para a partida de abertura do Mundial, dia 14 de junho entre Rússia e Arábia Saudita, no estádio Luzhniki, em Moscou, mas para ver outras partidas, se quiserem prolongar a estadia (por conta de cada um), terão que receber bilhetes destinos à cota de cada confederação, ou até mesmo comprar.

Todos ficarão hospedados em hotéis indicados pela Fifa, mas se quiserem levar acompanhantes terão que pagar — muitos dirigentes costumam levar suas mulheres para viagens desse tipo. A Fifa também informou que qualquer outra necessidade do participante do congresso, como voos domésticos dentro da Rússia, acréscimo em dias de hospedagem e traslado em horários diferentes do oferecido ao aeroporto serão cobrados.

Desde 2015, a Fifa vem convivendo com escândalos de corrupção que fizeram o ex-presidente Joseph Blatter e o ex-secretário-geral Jérôme Valcke serem suspensos do futebol por negociações suspeitas. Outra dezena de cartolas das Américas foi presa em decorrência de investigação da Justiça americana sobre pagamento de propina a eles para que vendessem os direitos comerciais de competições a empresas de marketing esportivo — entre os condenados está o ex-presidente da CBF José Maria Marin, que recorre da decisão.

A CBF não definiu, apurou o blog, quem serão os três delegados que vão representar o Brasil no Congresso, mais importante evento da Fifa. Marco Polo De Nero, atual presidente, está suspenso preventivamente pelo Comitê de Ética da Fifa devido às acusações dos americanos de também ter recebido propina de empresas — o que ele nega.

Mesmo caso ele não seja banido definitivamente, Del Nero não deverá viajar à Rússia já que tem evitado sair do Brasil desde 2015, por conselho de seus advogados. Fernando Sarney, vice da CBF e membro do Conselho da Fifa, e Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol e diretor da CBF, são candidatos a representar o Brasil no Congresso.