Blog do Marcel Rizzo

Vai aceitar? FPF agenda pagamento a Palmeiras de prêmio por vice paulista

Marcel Rizzo

A Federação Paulista de Futebol (FPF) pagará a premiação do Campeonato Paulista na próxima semana, incluindo o R$ 1,65 milhão ao Palmeiras pelo vice-campeonato da competição. O clube rompeu com a entidade no início da semana, após a polêmica de um pênalti marcado, e depois desmarcado, sobre Dudu na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, no domingo (8) — o rival venceu por 4 a 3 nos pênaltis e se sagrou campeão.

Até o momento, o Palmeiras não afirmou se rejeitará o dinheiro. Ainda no domingo, deixou o gramado antes de receber as medalhas de vice-campeão e não compareceu à festa do Paulistão, na segunda (9), quando teve oito jogadores na seleção do torneio, além do melhor atleta (o goleiro Jailson) e Roger Machado como melhor treinador. As medalhas e esses troféus continuam na sede da entidade e não há previsão de entrega — ou de retirada.

Segundo o departamento de comunicação do clube, está nas mãos do presidente Mauricio Galliote qualquer decisão a respeito desse assunto, inclusive com relação ao prêmio em dinheiro do Paulistão. O blog apurou que a tendência é de o clube receber a verba porque parte será destinada ao bicho do elenco pela campanha.

O pagamento da premiação será feito à vista. O Corinthians, campeão, terá direito a R$ 5 milhões, o Palmeiras a R$ 1,65 milhão, o São Paulo (terceiro colocado) a R$ 1,1 milhão e o Santos (quarto) a R$ 880 mil. O valor é o mesmo desde 2016.

A diretoria do Palmeiras emitiu nota oficial rompendo com a Federação Paulista, e prometendo algum tipo de boicote ao Estadual em 2019 se seus pedidos não forem atendidos: ter árbitro de vídeo (o VAR, na sigla em inglês) em seus jogos, que a comunicação entre os árbitros seja gravada e repassada aos clubes, se necessário, e mudanças no departamento de arbitragem da FPF.

A principal reclamação do clube foi a presença no campo de Dionisio Roberto Domingos, chefe dos árbitros em São Paulo, que segundo o clube pode ter se comunicado com um dos auxiliares para falar que não teria sido pênalti cometido por Ralf em Dudu, o que é proibido pelas regras do futebol. A FPF nega a interferência externa na decisão do árbitro Marcelo Aparecido de Souza de voltar atrás na marcação da falta, e diz que Domingos poderia estar no campo porque estava inscrito como tutor da arbitragem para a decisão.

O caso está sendo investigado pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP), e poderia até resultar na anulação da partida, algo considerado bem improvável inclusive para a cúpula palmeirense. Como mostrou o blog, o contrato assinado com a Globo, que vale por mais três anos, dificultará qualquer tentativa de boicote do Palmeiras ao Paulistão em 2019, seja o de não participar ou até o de usar atletas juniores.