Blog do Marcel Rizzo

Copa da Rússia pode dar fim à pergunta ‘quem é melhor, Messi ou Ronaldo?’

Marcel Rizzo

A pergunta ''quem é melhor, Cristiano Ronaldo ou Messi?'' pode para sempre ficar no ar pelas atuações dos jogadores em Real Madrid e Barcelona, respectivamente, mas quando o assunto é seleção, o português parece se sentir mais à vontade.

Ronaldo estreou na Copa-2018 nesta sexta (16), Messi começa sua trajetória na Rússia no sábado (16) e os dois, já com mais de 30 anos, podem estar no último Mundial em alo nível. Os três gols que fez no 3 a 3 contra a Espanha, em Sochi, mostrou que o camisa 7 de Portugal entendeu que poderá levar seu time ''nas costas''. E Messi, que terá a estreante Islândia pela frente?

Ronaldo se tornou o 47º jogador da história a fazer três gols em um mesmo jogo de Mundial. Conseguiu feito que seu conterrâneo Eusébio fez em 1966 nos 5 a 3 sobre a Coreia do Norte, o que Pelé fez em 1958, na semifinal frente à França, e o que Batistuta conseguiu duas vezes, nas Copas de 1994, contra a Grécia, e de 1998, frente a Jamaica. Aliás, só Batistuta, o francês Fontaine (duas vezes em 1958), o alemão Gerd Mueller e o húngaro Kocsis fizeram três gols em dois jogos de Mundiais, algo que Ronaldo, por que não, pode até igualar ainda na Rússia.

Mesmo se não fizer isso, os três gols contra a Espanha mostraram que sente-se à vontade como protagonista de Portugal, algo que ficou claro em 2016, na campanha do título europeu, e algo que Messi ainda não conseguiu na Argentina. Ele levou seu time à final em 2014, no Brasil, talvez se Higuain não perdesse gol feito os argentinos pudessem ter levantado a taça, mas é possível dizer que Messi não empolga (ou se empolga) com a camisa de seu país.

Em 2014, 2015 e 2016 foram três derrotas em finais: a já citada do Mundial frente os alemães, no ano seguinte na Copa América do Chile, para os donos da casa, e 12 meses depois de novo para o Chile, na Copa América do Centenário, da Argentina. O que Ronaldo decide quando joga por Portugal, Messi deixa a desejar na Argentina.

Talvez, se um dia a discussão de quem foi melhor levar em conta o que fizeram por suas seleções, seja fácil escolher um ou outro — hoje com vantagem a Ronaldo, que inclusive com os três gols que fez contra a Espanha passou o argentino em tentos marcados em Mundiais, seis a cinco.