Blog do Marcel Rizzo

Flamengo encabeça clubes que esperam bonificações do acordo com a Caixa

Marcel Rizzo

Os torneios em 2018 chegam à reta final e os clubes que fecharam patrocínio com a Caixa Econômica Federal começam a fazer as contas para saber se terão direito a receber bônus pelos contratos assinados. Os cinco clubes com os maiores contratos para estampar a marca do banco estatal em suas camisas (Flamengo, Santos, Cruzeiro, Atlético-MG e Botafogo) têm premiações atreladas a metas alcançadas em valor que, somado, chega a R$ 27 milhões.

Não é só título que garante o bônus, apesar de a maior parte dessa quantia ser ligada diretamente a troféus. O caso do Santos, por exemplo: o clube paulista assinou em maio a renovação com a Caixa por um ano, em valor fixo de R$ 10 milhões mas que, com as bonificações, pode chegar a um total de R$ 17,6 milhões.

Isso ocorreria, claro, em caso de conquistas dos principais torneios que disputasse, como Libertadores, Copa do Brasil e Brasileiro, mas no momento a única taça ainda em disputa é a Série A e com chances remotíssimas de ganhar. Mesmo assim o clube receberá uma parte da bonificação por ter avançado até as oitavas de final da Libertadores e quartas de final da Copa do Brasil — e ter conseguido uma exposição maior da marca do parceiro. Essa quantia ainda não foi definida porque dependerá da colocação final do Santos no Brasileiro.

O Flamengo tem o contrato mais caro entre todos os clubes patrocinados pela Caixa: um fixo de R$ 25 milhões, também por um ano, que pode chegar a R$ 32,6 milhões com as bonificações. Como o Santos, o Flamengo também já caiu na Libertadores e na Copa do Brasil e terá valores menores a receber de premiação. A diferença é que o time da Gávea ainda está no páreo pelo Brasileiro, e pode engordar em pelo menos mais R$ 1 milhão o que vai em embolsar da Caixa.

O Cruzeiro e o Atlético-MG, rivais de Belo Horizonte, têm contratos fixos iguais, de R$ 10 milhões, mas as bonificações previstas aos cruzeirenses eram maiores devido aos torneios que o clube disputava. A Libertadores valia mais do que a Sul-Americana — os dois times, porém, já estão fora de competições da Conmebol. O Cruzeiro, entretanto, disputa a final da Copa do Brasil e, se vencer, levará o bônus de cerca de R$ 500 mil previsto – o clube venceu na quarta (10) o Corinthians no primeiro jogo da decisão por 1 a 0, no Mineirão. 

O Botafogo tem o menor dos contratos, com R$ 10 milhões fixo e R$ 2,3 milhões para ganhar em bonificações. O clube perdeu uma boa chance de chegar perto desse valor ao ser eliminado nas oitavas de final de final da Sul-Americana para o Bahia. A Caixa informou em abril ao Blog do Rodrigo Mattos que investiria cerca de R$ 153 milhões em 2018 para patrocínio de clubes ou federações estaduais. Ao menos 16 times, a maioria da Série B do Brasileiro, fecharam contrato.

Leia mais

Caixa investirá até R$ 153 milhões no futebol em 2018

Estaduais recebem dinheiro estatal e viram barganha em eleição da CBF