PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

UFC dividirá espaço de ginásio de evento com Força Nacional que ocupa o CE

Marcel Rizzo

15/01/2019 04h00

Centro de Formação receberá UFC e Força Nacional ao mesmo tempo (Crédito: Marcel Rizzo/UOL)

O governo do Ceará informou que o UFC Fight Night será realizado normalmente no dia 2 de fevereiro — será a terceira vez que o evento de MMA ocorre em Fortaleza, que já recebeu o TUF 2 em 2013 e outra edição do Fight Night, em 2017. Mesmo assim, lutadores, torcedores e organizadores da principal competição da categoria dividirão o CFO (Centro de Formação Olímpica) com membros da Força Nacional de Segurança.

Desde o dia 2 de janeiro, o Ceará convive com ataques criminosos por todo o estado atribuídos a membros de facções irritados com o endurecimento de regras em presídios. Prédios públicos e privados, ônibus, viadutos e até uma torre de transmissão já foram atacados, em mais de 200 ações em 44 cidades. Após pedido do governador Camilo Santana (PT), o ministro da Justiça e Segurança Nacional, Sérgio Moro, autorizou a presença de mais de 400 agentes da Força Nacional de Segurança no Ceará para ajudar no policiamento. Eles estão concentrados no CFO, que tem cerca de 200 alojamentos, refeitório e estacionamento ampl para os carros dos enviados do governo federal.

"Foi feito um reconhecimento da área, com o pessoal da organização [do UFC], do governo e do comando da Força Nacional, houve uma divisão de áreas, não teremos problema nenhum na realização do evento. O pessoal da Força Nacional está concentrado basicamente no prédio dos alojamentos", disse Rogério Pinheiro, secretário do Esporte e Juventude do Ceará, que administra o CFO. Ele admitiu que algumas adaptações precisarão ser feitas na montagem de alguns equipamentos referentes ao UFC, mas que não vão interferir nas lutas e no conforto do público.

"O estacionamento do CFO para eventos, por exemplo, já é pequeno, normalmente atende mesmo só os carros dos organizadores. Mas poderemos disponibilizar o estacionamento da Arena Castelão, que é amplo", disse Pinheiro. O estádio que recebeu partidas da Copa do Mundo, e que voltou para as mãos do estado depois de seis anos sob concessão, fica bem em frente ao Centro de Formação.

Alterar a data, ou cancelar o UFC, traria prejuízo aos organizadores e também ao estado, já que ingressos foram vendidos e houve pagamento para a utilização do espaço. O blog apurou que, na semana do evento, serão colocadas divisórias para limitar o espaço que poderá ser usado pela organização. Normalmente a área de alojamentos e refeitório já não é cedida, e o show se concentra mesmo no ginásio. De qualquer maneira, o Basquete Cearense, time local que disputa o NBB (Novo Basquete Brasil), mudou seus três jogos como mandante em janeiro do CFO para o ginásio Paulo Sarasate, que pertence à prefeitura.

"Foi em comum acordo, eles preferiram transferir para o Paulo Sarasate, com que têm boa relação também. Era o início da presença da Força Nacional, então não sabíamos como seria a logística, houve aprimoramento no controle de acesso", disse Pinheiro. A Força Nacional, a princípio, ficará 30 dias no Ceará, ou seja, até 5 de fevereiro. É possível, porém, que o período seja estendido, o que pode afetar mais jogos do Basquete Cearense no CFO.

O CFO faz parte do projeto de criar estruturas para esportes olímpicos pelo Brasil, como legado dos Jogos do Rio-2016. Foi projetado em 2013, e entregue parcialmente em dezembro de 2014. Sua inauguração oficial só ocorreu três anos e meio depois, em julho de 2018, quando já tinha recebido diversos eventos, entre eles o UFC em 2017. O gasto total da obra segundo o governo federal, que bancou a maior parte, foi de R$ 250 milhões — R$ 207 mi do Ministério do Esporte, R$ 24 mi do governo cearense e R$ 19 mi em financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Em dezembro de 2018, o jornal "O Povo" revelou que o equipamento não tinha todos os alvarás de funcionamento em dia, o que gerou investigação do Ministério Público Estadual. A Secretaria do Esporte, na época, informou que os eventos realizados até então eram considerados testes do CFO, ainda em obra, e que havia alvarás específicos para cada um deles, inclusive o UFC de 2017. O caso ainda está em andamento, mas o local continua liberado.

Leia mais

Veja o card da terceira edição do UFC em Fortaleza

Escolta policial e carro dividido: a rotina do futebol na "guerra" do Ceará

 

Sobre o Autor

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Sobre o Blog

Notícias dos bastidores do esporte, mas também perfis, entrevistas e personagens com histórias a contar.