Topo
Blog do Marcel Rizzo

Blog do Marcel Rizzo

Categorias

Histórico

Conmebol projetou vaga no Mundial para retomar Supercopa e faturar R$ 40 mi

Marcel Rizzo

19/10/2019 04h00

A ideia do presidente da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol), Alejandro Dominguez, de ressuscitar a Supercopa dos campeões da Libertadores tem como prioridade aumentar a receita da entidade com suas competições. Para tornar o torneio mais atraente aos olhos da cartolagem e dos torcedores, ele foi apresentado como classificatório para o Mundial de Clubes turbinado da Fifa que vai estrear em 2021, provavelmente na China. Seriam duas vagas por meio da Supercopa, a ser disputada entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021 — as quatro vagas restantes da América do Sul seriam preenchidas pelos campeões da Libertadores e Sul-Americana de 2019 e 2020. A CBF não gostou da sugestão por causa do calendário.

A Conmebol estima que a Supercopa possa gerar uma receita de no mínimo US$ 10 milhões (R$ 40 milhões). Pode até ser mais, dependendo do formato da competição, número de sedes, entre outros pontos. Em 2018, por exemplo, a Libertadores fez entrar na conta da entidade US$ 116,3 milhões (R$ 493 milhões), entre direitos de transmissão, patrocinadores, etc,  disparado a principal fonte de dinheiro da confederação. A Sul-Americana, segundo torneio de clubes em importância, teve receita de US$ 38,9 milhões (162,2 milhões) e a Recopa, o confronto entre os campeões dos dois outros campeonatos, gerou US$ 1,23 milhão (5,1 milhões).

A ideia da Supercopa, apurou o blog, nasceu do pedido da cúpula da Conmebol para a FC Diez Media, empresa que detém até 2022 os direitos comerciais das competições de clubes da entidade, para que apresentasse propostas para maiores receitas. A sede única para as finais da Libertadores e da Sul-Americana foi um dos planos e já será colocado em prática em 2019 — dia 9 de novembro tem a decisão da Sul-Americana em Assunção (Paraguai) e dia 23 de novembro a da Libertadores, em Santiago (Chile).

SAIBA MAIS:

Conmebol propõe recriar uma Supercopa de campeões da Libertadores por vaga em Mundial de Clubes

Falhas na Copa América deixam Brasil mais longe na disputa para ser sede de Mundial de Clubes 2021

Fifa anuncia novo Mundial de Clubes da Fifa com 24 equipes

Com os três torneios já existentes no limite para gerar receita, segundo relatório apresentado pela empresa, a solução será criar uma quarta competição, ou recriar na verdade. A Supercopa já existiu nos anos de 1980 e 1990, mas quando o calendário do futebol não era lotado como atualmente. Foi disputado entre 1988 e 1997, no sistema mata-mata, mas também quando a Libertadores tinha menos campeões. Hoje são 25 times que já levantaram o troféu, de sete países diferentes –somente clubes de Venezuela, Peru e Bolívia não têm a taça.

Do Brasil, dez times estariam aptos a participar da competição: Atlético-MG, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Santos, São Paulo e Vasco. O presidente da CBF, Rogério Caboclo, se mostrou contra a criação de mais uma competição, principalmente se for disputada entre dezembro e janeiro quando os clubes brasileiros estão de férias e início de pré-temporada. Mas tudo ainda está na fase de projetos e pode mudar.

A Conmebol se fia que terá apoio de países como Equador, Colômbia, Paraguai, Chile e Uruguai, que veriam no torneio uma maneira de ganhar mais dinheiro e de ter chance de se classificar para o Mundial sem vencer a Libertadores e a Sul-Americana, torneios que nos últimos anos têm tido domínio argentino e brasileiro.

Num pré-projeto apresentado, quase um esboço de formato, o torneio com 25 equipes seria todo eliminatório, jogos únicos e com sede fixa. É possível até que duas sedes fossem apresentadas, dividindo as equipes para facilitar logística e com o campeão de cada grupo, digamos, garantindo vaga no Mundial de Clubes da Fifa. A decisão se a Supercopa sai ou não do papel será tomada pelo Conselho da Conmebol nos próximos meses.

Sobre o Autor

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Sobre o Blog

Notícias dos bastidores do esporte, mas também perfis, entrevistas e personagens com histórias a contar.

Blog do Marcel Rizzo