Topo

Histórico

Categorias

História de que Firmino foi descoberto pelo Football Manager era uma lenda

Marcel Rizzo

15/11/2019 04h00

Lutz Pfannenstiel, o olheiro que descobriu Roberto Firmino e o levou para o futebol da Alemanha (Crédito: Reprodução Twitter)

O que não falta no futebol são lendas, principalmente sobre como esse ou aquele jogador foi descoberto. Uma das preferidas de muitos fãs do esporte é a de que o atacante Roberto Firmino, hoje uma estrela do campeão europeu Liverpool e titular da seleção brasileira, foi descoberto por meio do jogo Football Manager, aquele em que você pode se tornar um gênio levando uma equipe mediana ao título mundial, tudo criado pelo computador claro. Firmino, o de carne e osso, estará em campo nesta sexta-feira (15), no amistoso do Brasil contra a Argentina em Abu Dhabi.

Pois bem, Roberto Firmino não foi parar no Hoffenheim, da Alemanha, porque algum gamer maluco era filho do diretor ou membro do estafe da equipe alemã. A história real é mais simples, contada por Lutz Pfannenstiel, um ex-goleiro alemão, hoje com 46 anos, que era o responsável em 2010 por prospectar jogadores para o Hoffenheim.

LEIA MAIS:

Ele já jogou em cinco continentes, ficou 101 dias preso e foi dado como morto

"Um vídeo que recebi de um colega que fiz em Santa Catarina. Vimos, gostamos, tivemos boas indicações. É difícil você imaginar que pudesse dar certo, um time que estava na segunda divisão, de Santa Catarina. Firmino chegou muito tímido, mas se moldou ao futebol da Alemanha", disse Pfannenstiel em conversa com jornalistas das Américas na sede do Fortuna Dusseldorf, clube da Bundesliga onde hoje trabalha ainda como olheiro.

Pfannenstiel ostenta no currículo algo que não é lenda: é o único jogador profissional a ter atuado por times das seis confederações filiadas à Fifa, ou seja, na Europa, América do Sul, Américas do Norte e Central, África, Ásia e Oceania. No Brasil esteve no Atlético de Ibirama, de Santa Catarina, em 2008. Fez pouco mais de 20 jogos apenas, o suficiente para criar contatos que, dois anos depois, o levariam até o brasileiro de 19 anos que tinha no currículo passagens pelo CRB e pelo Figueirense, onde jogou a Série B do Brasileiro. Daria certo?

"Eu considero o Firmino o jogador que mais me orgulho de ter feito uma indicação. Porque hoje ele é um dos jogadores mais inteligentes. Sua importância para o Liverpool é incrível. Eu vejo o Firmino como um atleta com a técnica brasileira e a mentalidade alemã", disse Pfannenstiel.

Hoje ele diz que seria difícil encontrar outro Firmino, pelo menos para clubes de médio e pequeno porte como o Hoffenheim e o Fortuna Dusseldorf. "Os preços estão muito altos, no Brasil e na Argentina. Por isso focamos hoje na América do Sul mais atletas da Colômbia e do Equador", disse.

A história sobre Pfannenstiel ter usado dados do Football Manager para contratar Firmino surgiu após uma confusão em uma entrevista que o alemão deu a uma rádio inglesa, em novembro de 2016. Como o atacante brasileiro era um desconhecido quando chegou à Alemanha, o apresentador perguntou se Pfannenstiel havia usado o jogo de computador para avaliar o brasileiro e emendou com o valor da transação, 4 milhões de euros. O alemão respondeu sim, mas o sim era para confirmar a quantia paga pelo atleta, não que o descobriu, ou o avaliou, com base no game.

*o repórter viajou a Dusseldorf a convite da Bundesliga

Sobre o Autor

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Sobre o Blog

Notícias dos bastidores do esporte, mas também perfis, entrevistas e personagens com histórias a contar.

Blog do Marcel Rizzo