Blog do Marcel Rizzo http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br Notícias dos bastidores do esporte, mas também perfis, entrevistas e personagens com histórias a contar Sat, 19 Jan 2019 10:52:11 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Empresa da Copa-2018 vai receber R$ 392 mil para operar o VAR no Paulistão http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/19/empresa-da-copa-2018-vai-receber-r-392-mil-para-operar-o-var-no-paulistao/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/19/empresa-da-copa-2018-vai-receber-r-392-mil-para-operar-o-var-no-paulistao/#comments Sat, 19 Jan 2019 08:51:01 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8501 A Federação Paulista de Futebol (FPF) vai desembolsar total de R$ 392 mil somente para pagamento da empresa Hawk-Eye Innovations, que será a responsável pela tecnologia do árbitro de vídeo na elite do Campeonato Paulista. O VAR (na sigla em inglês) será usado nas 14 partidas da fase final, totalizando portanto R$ 28 mil por jogo apenas para a empresa. Todo o custo será bancado pela entidade. 

Haverá ainda gastos extras, como segurança, divulgação e pagamento de alguns funcionários que não estejam incluídos no pacote da empresa. A Hawk-Eye Innovations, a mesma usada pela Fifa na Copa do Mundo de 2018, será responsável por toda a operação do VAR, como os equipamentos usados pelo árbitros, operadores de imagens, transporte, entre outros.

Ainda há preocupação com relação à estrutura de estádios menores do interior dos times classificados para as quartas de final, mas as imagens usadas devem ser, na maioria, aquelas da transmissão oficial, que já conta com dezenas de câmeras.

O valor fechado pela FPF é inferior aquele orçado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) em 2018 para o Campeonato Brasileiro, de R$ 50 mil por partida. Na ocasião a entidade informou que não arcaria com o custo, que deveria ser dos clubes, e que só teria condições de oferecer o produto a partir do segundo turno, por metade da competição. Cada clube gastaria, portanto, cerca de R$ 500 mil e 13 dos 20 participantes rejeitaram o uso do VAR.

Será a primeira vez que o VAR será usado no Campeonato Paulista. Em 2018, um lance polêmico na final entre Palmeiras x Corinthians gerou reclamação dos palmeirenses, que foram até os tribunais desportivos exigir que a comunicação entre os profissionais de arbitragem no dia da partida fosse revelada.

O clube suspeita até hoje que teve interferência externa na decisão do árbitro Marcelo Aparecido de Souza de voltar atrás na marcação de um pênalti sobre Dudu, que poderia empatar o jogo, resultado que favoreceria o Palmeiras. O Corinthians venceu no tempo normal por 1 a 0 e conquistou o título nos pênaltis.

O Campeonato Paulista terá início neste sábado (19) e 12 rodadas, até 20 de março, na primeira fase serão sem o uso do árbitro de vídeo. As quartas de final, já com VAR, começam em 24 de março.

]]>
2
Bolsonaro define como olhará futebol profissional no governo e preocupa CBF http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/17/bolsonaro-define-como-olhara-futebol-profissional-no-governo-e-preocupa-cbf/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/17/bolsonaro-define-como-olhara-futebol-profissional-no-governo-e-preocupa-cbf/#comments Thu, 17 Jan 2019 08:55:20 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8493 A cúpula da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) monitora a formação do secretariado do Ministério da Cidadania do governo Jair Bolsonaro, pasta onde está o esporte, que deixou o status de ministério. Há atenção especial sobre como será formada a equipe do departamento de futebol e defesa dos direitos do torcedor, que estará dentro da secretaria do mesmo nome (que cuidará, também, da Autoridade Pública de Governança do Futebol, a Apfut, que regula a lei de responsabilidade fiscal no futebol).

O governo ainda decide diversos cargos de terceiro e quarto escalões e há discussão, por exemplo, se pode haver uma divisão de funções nessa secretaria específica: um executivo para cuidar do futebol e outro para defesa do torcedor. O blog apurou que a CBF tenta minar a possibilidade de que pessoas que fazem certa oposição à confederação (como dirigentes de alguns clubes) possam indicar um diretor de futebol do governo federal.

Antes ligada diretamente ao ministro do Esporte, a Secretaria de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor se tornou, agora, um braço da Secretaria Especial do Esporte, que está dentro do Ministério da Cidadania. O ministro Osmar Terra indicou para secretário do Esporte o general da reserva Marco Aurélio Vieira, que participou da organização dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Ele tomou posse do cargo nesta quarta (16) e agora devem ser agilizadas as nomeações de funções de outros escalões.

A CBF busca uma boa relação com Jair Bolsonaro. No jogo da entrega da taça de campeão brasileiro ao Palmeiras, em dezembro, Bolsonaro foi convidado pelo clube e patrocinador para assistir ao jogo contra o Vitória, no Allianz Parque. A CBF foi além e chamou o então presidente eleito para participar da festa de premiação com o troféu, dentro de campo, evento que normalmente tem apenas jogadores e cartolas presentes.

A diretoria de futebol tem como meta dar diretrizes de programas que podem ser feitos pelo governo para o desenvolvimento da modalidade, principalmente em regiões carentes, mas pode tocar também em pontos do alto rendimento, como regulamentações, o que interessa à CBF e clubes. Há um ponto principal da preocupação da confederação brasileira, que é a maneira como escolhe seus presidentes. O estatuto da entidade dá mais poder às federações estaduais do que aos clubes. Portanto ter alguém nesse cargo mais ligado a clube, e ainda se for de uma certa oposição, pode dar alguma dor de cabeça no futuro.

]]>
31
Fifa obriga filiados a criarem torneios de base feminino para liberar verba http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/16/fifa-obriga-filiados-a-criarem-torneios-de-base-feminino-para-liberar-verba/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/16/fifa-obriga-filiados-a-criarem-torneios-de-base-feminino-para-liberar-verba/#comments Wed, 16 Jan 2019 04:00:16 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8476 No ano de eleição para presidente, a Fifa aumentou o dinheiro que repassa a confederações e associações membros. A CBF, por exemplo, poderá receber nos próximos quatro anos (2019 a 2022) US$ 6 milhões (R$ 22 milhões) — US$ 1 milhão (R$ 3,7 milhões) a mais do que entre 2015 e 2018. São US$ 1 milhão por ano para custos operacionais e US$ 2 milhões (R$ 7,45 milhões) para o quadriênio para projetos específicos voltados ao desenvolvimento do futebol. Mas há um detalhe: é preciso cumprir alguns requisitos para ter acesso a 100% do dinheiro que não existiam antes, principalmente referentes ao futebol feminino. A confederação brasileira, por exemplo, precisou ajustar seu calendário.

Em 2019, a CBF vai realizar pela primeira vez um torneio nacional de base do futebol feminino, um sub-18 a princípio, com chance de no futuro apresentar outras categorias. Para se ter acesso a todo o fundo que a Fifa anualmente distribui é preciso ter campeonatos de base para mulheres, segundo documento enviado pela entidade mundial a seus filiados no dia 10 de janeiro.

O recebimento da verba anual de US$ 1 milhão é dividido em duas parcelas: a primeira de US$ 500 mil (R$ 1,35 milhão) paga em janeiro e a outra em julho. Para a primeira não há exigências de contrapartidas, mas a Fifa faz algumas recomendações para o uso do dinheiro. Por exemplo: custear atividades da seleção nacional, para organização de competições domésticas, administração da entidade, treinamento de funcionários, investimento em comunicação, contratação de funcionários e outros.

Já para receber a segunda, de julho, é preciso que até 31 de maio a associação membro envie à Fifa a comprovação de que está cumprindo dez exigências. Se não cumprir algumas, perde US$ 50 mil de cada não cumprida. São elas:

1) organizar um campeonato masculino profissional por até seis meses, envolvendo até dez times, e com mínimo de 90 partidas jogadas;

2) organizar um campeonato profissional feminino por até seis meses, com até dez times e com mínimo de 90 partidas jogadas;

3) que a seleção nacional masculina dispute ao menos quatro amistosos oficiais no ano;

4) que a seleção nacional feminina dispute ao menos quatro amistosos oficiais no ano;

5) organize campeonatos de base masculino, em até duas categorias;

6) organize campeonatos de base feminino, em até duas categorias;

7) seleção de base masculina, em até duas categorias, realize até quatro amistosos no ano;

8) seleção de base feminina, em até duas categorias, realize até quatro amistosos no ano;

9) mantenha funcionando e utilize o sistema de registro de jogadores que a Fifa tem, o ITM;

10) mantenha um programa de desenvolvimento e promoção de árbitros, incluindo mulheres.

Cada item não cumprido leva a perda de US$ 50 mil por ano. No caso da CBF, até 2018, o único requisito que não tinha era o torneio de base feminino, que fará nessa temporada também como parte do programa de desenvolvimento para o futebol exigido pela Fifa.

Já os US$ 2 milhões que são pagos em até quatro anos são para projetos específicos, e precisam de aprovação da Fifa. São usados normalmente também para programas de desenvolvimento, como infraestrutura (construção de centros de treinamentos para jovens e mulheres), de organização de torneios em áreas do país em que o futebol é menos desenvolvido, no treinamento de profissionais, entre outros casos.

Confederações também tiveram reajuste

Em junho, em Paris, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, tentará a reeleição. Ainda está obscuro quem será seu adversário, mas ele sabe que precisará de votos fora da Europa, principalmente de Ásia e África. Por isso, também, cada uma das seis confederações receberá US$ 12 milhões (R$ 45 milhões) para custear projetos entre 2019 e 2022. São US$ 2 milhões a mais do que o pago no quadriênio anterior (2015 a 2018).

O blog apurou que a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) pretende usar boa parte do dinheiro para desenvolvimento do futebol feminino e levar o futebol a áreas do continente onde pouco existe, como regiões de países como a Venezuela, Equador e Bolívia.

]]>
1
UFC dividirá espaço de ginásio de evento com Força Nacional que ocupa o CE http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/15/ufc-dividira-espaco-de-ginasio-de-evento-com-forca-nacional-que-ocupa-o-ce/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/15/ufc-dividira-espaco-de-ginasio-de-evento-com-forca-nacional-que-ocupa-o-ce/#comments Tue, 15 Jan 2019 04:00:49 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8465

Centro de Formação receberá UFC e Força Nacional ao mesmo tempo (Crédito: Marcel Rizzo/UOL)

O governo do Ceará informou que o UFC Fight Night será realizado normalmente no dia 2 de fevereiro — será a terceira vez que o evento de MMA ocorre em Fortaleza, que já recebeu o TUF 2 em 2013 e outra edição do Fight Night, em 2017. Mesmo assim, lutadores, torcedores e organizadores da principal competição da categoria dividirão o CFO (Centro de Formação Olímpica) com membros da Força Nacional de Segurança.

Desde o dia 2 de janeiro, o Ceará convive com ataques criminosos por todo o estado atribuídos a membros de facções irritados com o endurecimento de regras em presídios. Prédios públicos e privados, ônibus, viadutos e até uma torre de transmissão já foram atacados, em mais de 200 ações em 44 cidades. Após pedido do governador Camilo Santana (PT), o ministro da Justiça e Segurança Nacional, Sérgio Moro, autorizou a presença de mais de 400 agentes da Força Nacional de Segurança no Ceará para ajudar no policiamento. Eles estão concentrados no CFO, que tem cerca de 200 alojamentos, refeitório e estacionamento ampl para os carros dos enviados do governo federal.

“Foi feito um reconhecimento da área, com o pessoal da organização [do UFC], do governo e do comando da Força Nacional, houve uma divisão de áreas, não teremos problema nenhum na realização do evento. O pessoal da Força Nacional está concentrado basicamente no prédio dos alojamentos”, disse Rogério Pinheiro, secretário do Esporte e Juventude do Ceará, que administra o CFO. Ele admitiu que algumas adaptações precisarão ser feitas na montagem de alguns equipamentos referentes ao UFC, mas que não vão interferir nas lutas e no conforto do público.

“O estacionamento do CFO para eventos, por exemplo, já é pequeno, normalmente atende mesmo só os carros dos organizadores. Mas poderemos disponibilizar o estacionamento da Arena Castelão, que é amplo”, disse Pinheiro. O estádio que recebeu partidas da Copa do Mundo, e que voltou para as mãos do estado depois de seis anos sob concessão, fica bem em frente ao Centro de Formação.

Alterar a data, ou cancelar o UFC, traria prejuízo aos organizadores e também ao estado, já que ingressos foram vendidos e houve pagamento para a utilização do espaço. O blog apurou que, na semana do evento, serão colocadas divisórias para limitar o espaço que poderá ser usado pela organização. Normalmente a área de alojamentos e refeitório já não é cedida, e o show se concentra mesmo no ginásio. De qualquer maneira, o Basquete Cearense, time local que disputa o NBB (Novo Basquete Brasil), mudou seus três jogos como mandante em janeiro do CFO para o ginásio Paulo Sarasate, que pertence à prefeitura.

“Foi em comum acordo, eles preferiram transferir para o Paulo Sarasate, com que têm boa relação também. Era o início da presença da Força Nacional, então não sabíamos como seria a logística, houve aprimoramento no controle de acesso”, disse Pinheiro. A Força Nacional, a princípio, ficará 30 dias no Ceará, ou seja, até 5 de fevereiro. É possível, porém, que o período seja estendido, o que pode afetar mais jogos do Basquete Cearense no CFO.

O CFO faz parte do projeto de criar estruturas para esportes olímpicos pelo Brasil, como legado dos Jogos do Rio-2016. Foi projetado em 2013, e entregue parcialmente em dezembro de 2014. Sua inauguração oficial só ocorreu três anos e meio depois, em julho de 2018, quando já tinha recebido diversos eventos, entre eles o UFC em 2017. O gasto total da obra segundo o governo federal, que bancou a maior parte, foi de R$ 250 milhões — R$ 207 mi do Ministério do Esporte, R$ 24 mi do governo cearense e R$ 19 mi em financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Em dezembro de 2018, o jornal “O Povo” revelou que o equipamento não tinha todos os alvarás de funcionamento em dia, o que gerou investigação do Ministério Público Estadual. A Secretaria do Esporte, na época, informou que os eventos realizados até então eram considerados testes do CFO, ainda em obra, e que havia alvarás específicos para cada um deles, inclusive o UFC de 2017. O caso ainda está em andamento, mas o local continua liberado.

Leia mais

Veja o card da terceira edição do UFC em Fortaleza

Escolta policial e carro dividido: a rotina do futebol na “guerra” do Ceará

 

]]>
1
Sub-20 ou Copa América? CBF não pode errar a estratégia com Vinícius Júnior http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/12/sub-20-ou-copa-america-cbf-nao-pode-errar-a-estrategia-com-vinicius-junior/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/12/sub-20-ou-copa-america-cbf-nao-pode-errar-a-estrategia-com-vinicius-junior/#comments Sat, 12 Jan 2019 04:00:01 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8451

Vinícius Júnior começa a se firmar no time principal do Real Madrid (Crédito: AP Photo/Paul White)

O plano da diretoria e comissões técnicas da seleção brasileira (principal e base) da CBF era ter Vinícius Júnior no Sul-Americano sub-20, que será disputado a partir de 17 de janeiro no Chile. Vale vaga no Mundial da categoria, entre maio e junho, na Polônia, e para o Pan de Lima, de julho a agosto, mas não mais para os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio — a Conmebol ressuscitou o Pré-Olímpico, que será em janeiro do ano que vem, com times sub-23,  na Colômbia.

O Real Madrid, como esperado, não o liberou para o Sul-Americano — a obrigatoriedade é para torneios que constam no calendário Fifa, o que não é o caso da competição da Conmebol. Houve, então, um acordo de que Vinícius seria liberado para jogar o Mundial, caso o Brasil se classifique, claro (os quatro melhores no Chile vão viajar para a Polônia). A questão para a CBF agora, porém, já é outra: em vez do Mundial de base, porque não usar o atacante que começa a se firmar como titular do Real na Copa América, entre junho e julho, no Brasil?

Aos 18 anos, Vinícius Júnior foi vendido pelo Flamengo ao Real Madrid por 45 milhões de euros (R$ 193 milhões) e se apresentou em julho de 2018, ao completar a maioridade. No início foi deixado na equipe B, fez algumas apresentações em amistosos no time principal, mas nesse início de 2019 começa a ganhar espaço entre os titulares, sendo chamado até de o novo “rei de Madri” por uma empolgada imprensa espanhola.

Natural que, na seleção, haja cautela com um atleta tão jovem. Seria normal que ele passasse pela base, disputando um Mundial sub-20, e ganhasse chance aos poucos. Seria o natural se Vinícius Júnior fosse um atleta “normal”. Ele é acima da média, e começa a provar isso. E tem alguns fatores que podem ajudá-lo em Madri. Por exemplo: há espaço vago de idolatria e protagonismo no clube depois da saída de Cristiano Ronaldo. A carência por um ídolo pode alçar o brasileiro a esse patamar, algo que Neymar nunca teve no Barcelona — chegou para ser coadjuvante de Messi.

Tite foi mantido após fracassar na Copa do Mundo e a CBF acertou nesse movimento. Uma derrota, apesar de decisiva em uma Copa do Mundo (os 2 a 1 para a Bélgica, nas quartas de final do Mundial da Rússia), não apaga o bom trabalho feito. Havia também poucas opções viáveis para substitui-lo. Mas o técnico mostra nesse “segundo mandato” que achou tão bom o que fez no primeiro que as novidades são poucas.

Fechar o olho para um talento como o ex-flamenguista alegando idade pode ser um erro. Não levá-lo para uma Copa América, o ambientando ao estrelato que com certeza terá na seleção em breve, só atrasará a preparação para a Copa de 2022, no Qatar, que é natural que aconteça. Tite pode manter uma base que criou até agora, mas agregando talentos jovens. Já faz um pouco isso com Richarlison, 21, do Everton, que tem tudo para se tornar estrela em poderoso time em breve. Questão é que, três anos mais novo, Vinícius já aparece nesse patamar.

Pode ser que o Real Madrid ajude. O clube pode vetar sua presença no Mundial de base, que terá início de preparação bem no final da temporada europeia. Para a Copa América, torneio no calendário Fifa, não há como impedir a convocação. Se assistirmos Vinicius Júnior em 2019 com a camisa amarela na Polônia e não em São Paulo ou Salvador estaremos vendo um erro de estratégia da CBF.

]]>
3
Patrocinador pressiona Fifa por definição de sede do Mundial de Clubes http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/10/patrocinador-pressiona-fifa-por-definicao-de-sede-do-mundial-de-clubes/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/10/patrocinador-pressiona-fifa-por-definicao-de-sede-do-mundial-de-clubes/#comments Thu, 10 Jan 2019 11:30:25 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8445 Até agora a Fifa não decidiu onde será disputado o Mundial de Clubes de 2019. Normalmente, a entidade define com até dois anos de antecedência o país anfitrião, mas ao fim da edição 2018, em dezembro nos Emirados Árabes, ficou em aberto o local. O presidente, Gianni Infantino, ainda sonha em tirar o quanto antes do papel um plano de turbinar a competição com a presença de 24 equipes, metade da Europa (hoje são sete participantes, um europeu).

Já há, porém, pressão de patrocinador para que uma definição ocorra logo. O torneio, mesmo se mantido o formato atual, tem que ocorrer porque há um contrato de patrocínio com o grupo chinês Alibaba, de compra e venda de produtos online, até 2022. A tendência hoje era que o regulamento atual permanecesse e a China aparecia como principal candidata a ter a competição em 2019 e 2020.

A Fifa, entretanto, gostaria de esticar uma definição até março, quando seu Conselho vai se reunir nos EUA. Caso consiga um parecer positivo para aceitar oferta de grupos privados que pretendem investir mais de R$ 85 bilhões no novo torneio de clubes ampliado e numa nova competição de seleções, batizada de Liga das Nações a ser jogada entre as Copas do Mundo, seria possível até, na visão de membros da entidade, agilizar já uma edição turbinada do Mundial de Clubes para o fim desse ano ou 2020, o que poderia agradar ao patrocinador.

É preciso, porém, que haja alguma garantia de que isso poderá ser aprovado pelo Conselho para acalmar os chineses. Até agora os europeus não estão convencidos de que possa ser interessante esses novos torneios, que podem coincidir justamente com a Liga dos Campeões, torneio mais rentável da Uefa, e com a Liga das Nações europeia, competição que já saiu do papel. Um grupo foi criado para estudar toda essa situação e algo já deve ser apresentado em março, ou até antes, para satisfazer os patrocinadores.

Tudo isso ocorre em meio à proximidade da eleição para a presidência da Fifa, em junho, em Paris. Em crise com a Europa, Infantino sabe que precisará do apoio de Ásia e África e, hoje, a China é o principal parceiro comercial da entidade. Deixá-los irritados, portanto, não está nos planos do cartola.

]]>
9
Escolta policial e carro dividido: a rotina do futebol na ‘guerra’ do Ceará http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/09/escolta-policial-e-carro-dividido-a-rotina-do-futebol-na-guerra-do-ceara/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/09/escolta-policial-e-carro-dividido-a-rotina-do-futebol-na-guerra-do-ceara/#comments Wed, 09 Jan 2019 16:00:20 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8437 Uma rotina diferente para os jogadores, comissão técnica e direção do Fortaleza no início de 2019: escolta policial para seu ônibus chegar ao centro de treinamento. A precaução ocorre devido à série de ações criminosas que assola o Ceará desde da noite de quarta (2) passada — ao menos 170 atentados ocorreram em todo o estado, entre ônibus e carros queimados, ataques a prédios públicos e privados e até a viadutos em importantes estradas.

Para se deslocar da sede do clube, no bairro do Pici, ao CT Ribamar Bezerra, na cidade de Maracanaú, na Grande Fortaleza, são 12 km e normalmente a maioria dos atletas deixa o carro próprio na sede e vai de ônibus ou van até o centro de treinamento. Nos últimos dias, o ônibus só deixa o Pici se tiver um carro da polícia para acompanhar.

“Nossa alteração de rotina foi essa, pedir escolta para ir com o ônibus. Se não tem a escolta, como já ocorreu alguns dias porque a polícia não pôde atender ao pedido devido à demanda dessa situação, os atletas ou foram no carro próprio ou de Uber, táxi.  É uma questão de segurança”, disse Sérgio Papelin, gerente de futebol do Fortaleza.

O CT Ribamar Bezerra está a apenas 12 km do viaduto na BR-020 que foi um dos primeiros alvos de membros de facções criminosas a quem são atribuídos os ataques no Ceará. Na madrugada de quinta (3), explosivos danificaram a estrutura da ponte que liga as BRs 020 (que leva Fortaleza a Brasília) e 222 (que vai ao norte do estado, como Sobral). Ela está interditada até agora.

Papelin disse que não houve mudança em horário de treinamentos e que os atletas, principalmente aqueles que chegaram agora ao time e à cidade, mantêm a calma. “Não houve até agora nenhuma manifestação, o trabalho está sendo desenvolvido normalmente”, disse Papelin.

O transporte dos atletas também tem sido a preocupação no Ceará, clube que treina em uma região mais central de Fortaleza, no bairro de Porangabuçu. O técnico Lisca contou ao blog que os atletas têm sido orientados a dividirem carros entre três ou quatro profissionais para evitar problemas — diferentemente do Fortaleza, que disponibiliza o ônibus pela distância de seu CT, no Ceará todos vão com os carros próprios.

“Pedimos para eles evitarem andar sozinhos, tentar chegar em grupo. Tivemos notícias de alguns sequestros relâmpagos, no fim do ano passado um funcionário foi assaltado próximo, então tivemos essa preocupação”, disse Lisca, que como a comissão técnica do Fortaleza não alterou horário de treinamentos devido à onda de violência.

Lisca vive próximo à avenida Beira-Mar, região nobre de Fortaleza, e passa pelo centro da cidade até chegar a Porangabuçu diariamente. “Nesse trajeto está tranquilo, nem tenho visto muitos carros da Força Nacional [de Segurança], por exemplo. O problema está mais concentrado em áreas mais periféricas da cidade, pessoal sofrendo com falta de transporte”, disse Lisca. Desde sábado (5), o governo federal enviou mais de 400 homens de sua Força Nacional para ajudar no policiamento e combate aos membros de facções.

Gaúcho, Lisca trará dessa vez sua família para Fortaleza. Em 2018, quando assumiu o Ceará na Série A do Brasileiro em junho e conseguiu livrar o time de um rebaixamento que era dado como certo, ele preferiu deixar os familiares em Porto Alegre sem saber quanto tempo ficaria no comando da equipe.

“Em 15 dias eles chegam, mais ou menos. Não tem uma preocupação maior, o Brasil inteiro está perigoso. Em Porto Alegre, no início de dezembro, cheguei em casa e tinham entrado e roubado duas TVs. Minha sogra foi pega, levaram para o banco, ameaçando dizendo que estavam com minha mulher”, contou Lisca. Quando os ataques no estado começaram, ele contou que seus pais ligaram apavorados.

“Eu disse para ter calma, que era algo em regiões mais afastadas. Mas é preciso, claro, sempre ter cuidado”, disse o treinador.

Campeonato Cearense

Por enquanto, os atos criminosos e o deslocamento de 100% dos agentes de segurança do estado para conter essas ações não tem atrapalhado o torneio, que começou no dia 5 de janeiro. Há um detalhe, porém: Ceará e Fortaleza só estreiam em fevereiro, direto na segunda fase. Por enquanto times com torcidas menores estão em ação, portanto requerem menos policiamento nas partidas.

“Ainda é cedo para avaliar o que pode acontecer, mesmo na Copa do Nordeste “, disse Papelin. O Fortaleza estreia na competição regional dia 15 de janeiro, no Recife, contra o Náutico. Só atua no Castelão dia 27, frente o CSA. O Ceará joga antes em casa, dia 17 diante do Sampaio Corrêa, também no Castelão. Por enquanto não há risco de adiamento, mas somente a sequência dos atentados no estado é que vai determinar se haverá condições de ter policiamento na partida.

]]>
1
Mesmo sem reforço, Santos é grande paulista que começa ano com mais atletas http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/08/mesmo-sem-reforco-santos-e-grande-paulista-que-comeca-ano-com-mais-atletas/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/08/mesmo-sem-reforco-santos-e-grande-paulista-que-comeca-ano-com-mais-atletas/#comments Tue, 08 Jan 2019 11:25:47 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8429 Apesar de ser o clube que até o momento menos contratações fez entre os quatro de maior orçamento e torcida do futebol paulista (não fez nenhuma), o Santos é o que começou 2019 com mais atletas sob contrato. São 106, segundo dados da Federação Paulista de Futebol (FPF). Na sequência aparece o Palmeiras (101), depois Corinthians (95) e São Paulo (88).

Nessa lista inclui jogadores do time principal, claro, mas também aqueles que voltam de empréstimo e não interessam e outros que ainda atuam na categoria de base mas já assinaram acordos como profissional. Esse número costuma diminuir nos próximos meses com negociações e dispensas.

O Corinthians, por exemplo, já cedeu ao menos 16 jogadores de sua lista para empréstimos em 2019 — casos de Matheus Matias, atacante que vai atuar pelo Ceará, e de Camacho, reemprestado ao Athletico. No Palmeiras, o técnico Luiz Felipe Scolari conta com cerca de 35 jogadores em seu elenco no momento, mas quer enxugar o número para menos de 30. Os mais de 100 sob contrato, portanto, tem como maioria jogadores que serão emprestados ou utilizados de fato somente pelos times de base, se tiverem idade compatível.

2019 começa como ano em que os clubes apresentam listas menores de atletas com contrato. Houve época em que os times mantinhas equipes B, em que jogadores às vezes com mais de 30 anos estavam sob contrato jogando divisões inferiores do Campeonato Paulista. Isso gerava listas de profissionais sob contrato que iniciavam uma temporada com mais de 150 nomes — o que fazia com que inícios de ano significassem folhas salariais mais caras.

No Santos, o atacante Rodrigão, destaque do Avaí na Série B de 2018, retornou do empréstimo, mas deve ser negociado. O volante Leandro Donizete renovará seu empréstimo com o América-MG até recuperar lesão no joelho que sofreu na equipe mineira — seu acordo com o time paulista só termina em dezembro de 2019.

]]>
8
Corinthians estipula multa para rescisão maior em novo contrato de Carille http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/05/corinthians-estipula-multa-para-rescisao-maior-em-novo-contrato-de-carille/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/05/corinthians-estipula-multa-para-rescisao-maior-em-novo-contrato-de-carille/#comments Sat, 05 Jan 2019 04:00:44 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8420 A multa caso Fábio Carille queira sair do Corinthians antes do final do contrato, ou se o clube decidir demiti-lo, é um pouco mais salgada agora nessa segunda passagem do treinador pelo Parque São Jorge do que o valor da rescisão do primeiro acordo, pago pelo técnico em maio de 2018 ao sair para assumir o Al-Wehda, da Arábia Saudita.

Uma rescisão entre Carille e o Corinthians antes de dezembro de 2020, prazo do contrato assinado no começo de janeiro, fará com que aquele que seja o responsável pela separação pague 50% do valor restante que o técnico teria a receber. Por exemplo: se Carille sair em dezembro de 2019, por vontade própria, terá que pagar ao clube o equivalente a seis salários (metade de 12) a que teria direito até o fim do acordo. O mesmo vale se o Corinthians o dispensar. É mais do que os dois salários de multa da primeira passagem de Carille.

Na conta do fim do atual contrato entra tudo o que ele teria a ganhar, portanto se houver bônus por títulos não pago na ocasião, por exemplo, também seria registrado. Os acordos recentes de treinadores, não só com o Corinthians, tem incrementado essas bonificações por metas alcançadas, como títulos e classificações a torneios.

Em maio de 2018, após 17 meses comandando o time e com três títulos conquistados (dois Paulistas e um Brasileiro), Carille decidiu deixar o Corinthians e foi treinar o Al-Wehda, clube emergente da Arábia Saudita. Na ocasião, o presidente Andrés Sanchez confirmou que a multa do acordo que valia até dezembro de 2019 era de dois salários — cerca de R$ 600 mil. Agora, essa quantia pode bater na casa de alguns milhões se o contrato for rescindido com muitos meses para se encerrar, em dezembro de 2020.

Para deixar o futebol árabe agora (estava assinado até 2020) a multa estipulada em contrato do treinador com o Al-Wehda foi de US$ 700 mil (R$ 2,6 milhões), que foi paga. Colocar uma cláusula em acordos com valor de rescisão de 50% ao que o profissional tem a receber até o fim do contrato é praxe no futebol, principalmente quando os profissionais estão valorizados como é o caso de Carille no momento.

Leia mais

Carille confia em recuperáveis e Corinthians não prevê reforços para a zaga

Corinthians vai na contramão de rivais e monta 2019 em função de Carille

]]>
20
Mudanças de Bolsonaro no esporte criam dúvidas em órgão que regula o Profut http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/04/mudancas-de-bolsonaro-no-esporte-criam-duvidas-em-orgao-que-regula-o-profut/ http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/2019/01/04/mudancas-de-bolsonaro-no-esporte-criam-duvidas-em-orgao-que-regula-o-profut/#respond Fri, 04 Jan 2019 11:08:30 +0000 http://marcelrizzo.blogosfera.uol.com.br/?p=8410 Vinculada agora ao Ministério da Cidadania (fusão no governo Jair Bolsonaro das pastas de Esporte, Cultura e Desenvolvimento Agrário e Social), a Apfut (Autoridade Pública de Governança do Futebol) vive incertezas com relação a mudanças nos nomes e cargos de membros — inclusive dos representantes dos clubes, hoje nas mãos de Flamengo e Santos (suplência). O órgão tem como função fiscalizar as associações que aderiram ao Profut, a lei de responsabilidade fiscal que dá prazos maiores e juros menores para o pagamento de dívidas tributárias, desde que contrapartidas sejam feitas. Dos 12 clubes de futebol de maior orçamento do Brasil, 11 aderiram (apenas o Palmeiras não entrou).

Como mostrou o jornalista Demétrio Vecchioli em seu blog Olha Olímpico, boa parte dos cargos comissionados que pertenciam ao finado Ministério do Esporte migrou para o Ministério da Economia. Outros fizeram caminho oposto e alguns do Ministério da Justiça foram para a Cidadania. Essa confusa equação faz com que a Apfut, que pelo decreto original, assinado em agosto de 2015 pela então presidente Dilma Rousseff, tinha membros de três ministérios, além de representantes de clubes, treinadores, entre outros, fique sem saber exatamente como será sua composição a partir de agora.

Por exemplo: o plenário da autoridade, além do presidente (esse indicado pelo Presidente da República e que no momento tem no cargo Luiz André de Figueiredo Mello, que veio da iniciativa privada) tinha três representantes do Ministério do Esporte, pasta que foi extinta. Outro vinha do Ministério da Fazenda, que também acabou sendo incorporada pelo super Ministério da Economia comandado por Paulo Guedes. Um terceiro era da Casa Civil, que se mantém independente e tem o homem de confiança de Bolsonaro, Onix Lorenzoni, como ministro.

Não se sabe como será feita agora essa divisão dos membros. Os três representantes que eram do Ministério do Esporte virão da Secretaria de Esporte, criada dentro do Ministério da Cidadania? Ou podem ser funcionários diretos da Cidadania? E o da Fazenda, será indicado pela Economia ou pela Secretaria da Fazenda, também criada dentro do superministério de Guedes?

Pelo decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro em 2 de janeiro, a Apfut se transformou em braço da Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, que está dentro da Secretaria Especial do Esporte, que por sua vez faz parte do Ministério da Cidadania. Se antes a Apfut era ligada diretamente ao Ministério do Esporte, primeiro escalão portanto, agora tem vínculo com uma secretaria de terceiro escalão.

Há dúvidas também com relação a como ficarão os membros indicados por clubes. Um dos representantes, e que participava de todas as reuniões, era Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo. Ele deixou o cargo no clube no início de dezembro, com o fim do mandato — o eleito foi o oposicionista Rodolfo Landim. É possível que Landim seja convidado a permanecer no cargo como José Carlos Peres foi quando substituiu Modesto Roma (suplente na Apfut) na presidência do Santos. Mas toda as indefinições sobre como será o preenchimento de cargos deixam também essas vagas como incógnitas.

]]>
0