Blog do Marcel Rizzo

Arquivo : São Paulo; Bahia; Flamengo; Fernando Dibiz; Dorival Jr

Cotado no Bahia, Fernando Diniz é o consultor informal de Dorival Jr. no SP
Comentários Comente

Marcel Rizzo

Fernando Diniz na época de Audax Osasco (Crédito: Divulgação)

Dorival Júnior tem recebido a visita nas últimas semanas nos treinamentos do São Paulo de Fernando Diniz, ex-técnico do Audax famoso por fazer com que seus times tenham obsessão por ficar com a bola nos pés.

A troca de ideias entre os treinadores, porém, não se limita ao que Diniz tem visto nos treinos no CT da Barra Funda. Parado desde que deixou o time de Osasco no início de junho, Diniz tem visto os jogos do São Paulo, in loco ou pela TV, e conversado com Dorival sobre conceitos de jogo. O técnico são-paulino não esconde que é fã do trabalho de Diniz.

Ao Diário Lance, semana passada, Diniz disse que vê seu estilo de montar equipes bem parecido com o de Dorival Júnior. O técnico são-paulino quer que seu time tenha a posse de bola frequente como meta para os próximos meses, na busca de reação no Brasileiro.

A presença de Diniz nos treinos e nos bate-papos com o treinador sobre o que vê nas partidas do São Paulo (pelo menos três nas últimas semana) não o colocam como um auxiliar informal, ou que ele faça um estágio no clube. Dorival o convidou para o debate, e isso já havia ocorrido quando o são-paulino comandava o Santos.

Diniz teve o nome sugerido ao Flamengo mais no início do ano, quando Zé Ricardo correu perigo de perder o emprego, o que acabou não acontecendo. No momento, o Bahia é o clube que recebeu o nome de Diniz como sugestão para substituir Jorginho, demitido nesta segunda (31). O blog apurou que que a probabilidade de o Bahia se decidir por Diniz é pequena no momento.

O Audax foi vice-campeão paulista em 2016, com futebol de posse de bola excessiva, elogiado por muitos, mas também criticado por outros por em alguns momentos “esquecer” de procurar o gol. Em 2017, o time acabou rebaixado para a segunda divisão paulista, o que fez Diniz deixar o clube. O técnico também teve passagem ruim pelo Oeste, na Série B do Brasileiro, o que faz clubes maiores questionarem o estilo de jogo que propõe.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>