Topo
Blog do Marcel Rizzo

Blog do Marcel Rizzo

Categorias

Histórico

Relatório da Fifa explica Modric como melhor da Copa-2018: faltou o craque

Marcel Rizzo

2001-04-20T19:04:00

01/04/2019 04h00

Luka Modric mereceu ser escolhido o melhor jogador da Copa do Mundo de 2018? A pergunta ecoa há mais de oito meses, quando o Mundial na Rússia terminou em 15 de julho, a França foi campeã, a Croácia vice, e o meio-campista recebeu o prêmio. Pouco mais de dois meses depois do torneio, em 24 de setembro, o jogador do Real Madrid ampliou a galeria de troféus de sua casa com o título de melhor do mundo pela Fifa, fazendo com que pela primeira vez em dez anos a honra não ficasse com Lionel Messi ou Cristiano Ronaldo. Notadamente teve peso nesta segunda escolha o fato de ele ter sido eleito o craque da Copa.

O relatório produzido pelo grupo de estudo técnico da Fifa que acompanhou de perto o torneio em solo russo, presidido pelo brasileiro Carlos Alberto Parreira, técnico campeão do mundo em 1994 nos Estados Unidos, tentou explicar por que Modric foi escolhido o melhor do Mundial: não houve, na visão do grupo, um craque decisivo na Copa da Rússia e faltou, também, o chamado "playmaker", aquele atleta que constrói a jogada e leva o time nas costas. A exceção, nesse segundo caso, foi Modric, que na opinião dos contratados da Fifa se destacou pela importância que teve ao levar a Croácia pela primeira vez a uma final.

Foram os membros deste grupo, que tinha o ex-centroavante holandês Marco Van Basten e o treinador Bora Milutinovic, que esteve em quatro Copas do Mundo por quatro seleções diferentes, que escolheram de fato os três melhores da Copa: na ordem, Modric, o belga Hazard e o francês Griezmann. Outro campeão, Mbappé, foi eleito a revelação, e o belga Courtois o melhor goleiro. A polêmica, porém, ficou mesmo para o troféu de Modric.

Escreveram os membros do grupo de estudo técnico em seu relatório: "Vimos menos dos chamados 'playmakers' nesta Copa do Mundo, talvez como resultado da maneira como as equipes se portaram em campo [atuando mais coletivamente]. No entanto, ainda havia alguns indivíduos nesta área. Pogba, da França, se destacou, mas Luka Modric deu show". Na sequência, o texto explica o que considerou o show de Modric, o comparando a atletas importantes de seleções campeãs do mundo em Copas anteriores,

"Com sua incrível técnica e consciência tática, Modrić ditou o ritmo dos jogos, defendeu, atacou e até marcou gols. Ele foi tão importante para a Croácia que você não pode imaginar eles sem ele no meio-campo. Sua contribuição foi crucial para levar a equipe até a final. Os três times anteriores vencedores da Copa do Mundo tiveram criadores proeminentes. Andrea Pirlo foi instrumental para a Itália em 2006, vimos Andrés Iniesta e Xavi controlando o ritmo do jogo para a Espanha em 2010 e Bastian Schweinsteiger desempenhando com sucesso um papel semelhante para a Alemanha quatro anos atrás no Brasil", diz o relatório.

Modric com o troféu de melhor jogador da Copa-2018 (Crédito: Shaun Botterill/Getty Images)

Pirlo, Iniesta, Xavi ou Schweinsteiger se comparados, por exemplo, a Messi e Cristiano Ronaldo estão patamares abaixo. Tanto que nenhum deles obteve o troféu de melhor do mundo da Fifa. Mas foram fundamentais nas conquistas dos Mundiais por sua seleções, levando em algum momento seus times nas costas. Por isso, são considerados "playmakers".

E quem foram os craques decisivos em Copas anteriores às citadas? Ronaldo em 2002? Zidane em 1998? Maradona, com certeza, em 1986. Na visão do grupo escolhido pela Fifa para avaliar a Copa taticamente e tecnicamente e escolher os melhores, um Mundial que não teve os craques presentes nele sendo decisivos (Messi e Ronaldo) fez com que um ótimo jogador, importante no desempenho de sua equipe, fosse eleito como o melhor.

LEIA MAIS

Croata Luka Modric é eleito o melhor da Copa do Mundo da Rússia

Modric é o presente, Mbappé é o futuro. Croata merece ser escolhido o melhor da Copa

Sobre o Autor

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Sobre o Blog

Notícias dos bastidores do esporte, mas também perfis, entrevistas e personagens com histórias a contar.

Mais Blog do Marcel Rizzo