Topo
Blog do Marcel Rizzo

Blog do Marcel Rizzo

Categorias

Histórico

O VAR é muito acionado no Brasileirão? CBF compara com Copa e Champions

Marcel Rizzo

24/08/2019 04h00

Média de checagens/revisões do VAR em alguns países, em torneios Fifa e no Brasil em dados da CBF (Crédito: CBF)

O VAR no Campeonato Brasileiro tem uma média de 6,1 checagens/revisões por jogo, número que segundo dados levantados pela CBF está na média do uso em países como Portugal e Alemanha e abaixo de competições recentes organizadas pela Fifa e pela Uefa. O documento é feito contra críticas de que se utiliza o VAR em excesso no Brasil.

Até a 14ª rodada da Série A (total de 139 jogos porque não entrou na estatística o jogo atrasado da 13ª rodada entre Athletico-PR e São Paulo, realizado na quarta-feira) foram 851 checagens/revisões na competição — 754 checagens e 87 revisões, segundo dados da CBF. A média de 6,12 por partida é a mesma da última temporada do Campeonato Português e da temporada 2017/2018 da Bundesliga, o Campeonato Alemão, e inferior à Copa da Rússia-2018 (7,1 checagens/revisões por partida),  à Copa do Mundo feminina (10,3), ao Mundial Sub-20 (10,5), torneios organizados pela Fifa, e à Liga dos Campeões da Europa-2018/2019 (7,8).

LEIA MAIS:

CBF anuncia que telespectador poderá assistir a mesma imagem do juiz no VAR

Pioneiro nos testes, levantamento mostra Brasil para trás no uso do VAR

Brasileirão: árbitro muda mais de 80% das decisões após revisão pelo VAR

A Bundesliga diminuiu o uso do VAR em sua temporada 2018/2019, que se encerrou no primeiro semestre deste ano, com média de 5,8 checagens/revisões por partida. A orientação da Fifa segue o lema "mínima interferência, máximo benefício", ou seja, em casos interpretativos a ordem é acionar o árbitro de vídeo somente com identificação de erros claros e óbvios, o que diminuiria bastante as chamadas e atrasos na sequência das partidas.

O "número mágico" dentro da Fifa e da Ifab, o órgão que regulamenta o futebol, é inferior a 5 checagens/revisões por confronto. Durante o período de testes, entre 2016 e 2018, foram realizados 972 jogos, em diversos países, e a média foi de 4,8, segundo dados da Ifab. Há países, como a Austrália, que estão até bem abaixo dessa média, com 3,8 checagens/revisões por jogo. A Itália apresentou 4,9 na temporada 2017/2018 de sua Série A.

Checagem e revisões são diferentes, apesar de entrarem numa mesma conta porque podem influenciar diretamente no andamento da partida. A checagem ocorre na sala do VAR, em diversos lances. Todo gol, por exemplo, é checado e quando não há problema identificado o árbitro de campo nem para a partida. Quando é detectada alguma dúvida, começa a revisão, em que pode haver mudança na marcação inicial de campo, ou não. Normalmente esses casos se referem a lances interpretativos, como uma bola na mão dentro da área que poderia se transformar em pênalti.

Na média uma checagem demora 20 segundos e uma revisão 1min08s, ou seja, atrasa mais a partida. Há casos em que o árbitro vai até a a beira do campo checar o monitor e uma decisão não sai antes de 4 minutos. Até a 14ª rodada, das 87 revisões feitas em 69 o árbitro mudou de decisão (78%) e em 18 manteve (22%). O número caiu um pouco do observado até a 13ª rodada, que apresentava 83% de alterações.

Sobre o Autor

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Sobre o Blog

Notícias dos bastidores do esporte, mas também perfis, entrevistas e personagens com histórias a contar.

Mais Blog do Marcel Rizzo